Não falamos sobre moda, cultura é o nosso foco, poesia nossa inspiração. Sair do lugar comum é como ver o mundo de cima de um salto 15...Vermelho!!!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Pós Natal

Pensem  numa saudade imensa. Pensaram? Pois bem, elevem ao cubo. Isso mesmo,  é o tamanho da saudade que estou de trocar idéias com vocês, mas enfim, minha ausência foi por uma causa justa: As comemorações do Natal. Agradeço a todos que por aqui passaram, as mensagens enviadas, os posts comentados. Esse compartilhar é o que faz a diferença e muito nos enriquecem.  

Sintam-se abraçados todos que acreditam e compartilham do nascimento do Cristo e, os que  não acreditam, mas respeitam, sintam-se abraçados também, pois o respeito às diferenças é a base da convivência. Liberdade de expressão e responsabilidade se complementam, uma vez que respeito gera respeito.  Independente das religiões e crenças, duvidem dos que zombam da fé alheia.

Espero que o Natal de todos tenha sido tão maravilhoso quanto o meu,  pois vivenciei momentos únicos que se eternizaram. Muitos foram os abraços, felicitações e presentes. Oops, o Audi não chegou, mas recebi verdadeiras preciosidades. A amizade compartilhada, não tem como avaliar

Como se não bastasse a alegria da família e dos amigos reunidos, ainda recebi a visita ilustre do meu amigo poetinha, Cristovam Melo. Aproveito o espaço para agradecer ao Cris a enorme surpresa. Lamento não ter subido e descido as ladeiras de Olinda como prometi, mas valeu o imensoooooooo tour pelo Recife.  Fico devendo, visse?!

Ah, um obrigada mais do que especial ao poeta Du Macário. Olhem o presente maravilhoso enviado por este cearense arretado: O livro Solidão devidamente autografado, dedicado, rotulado, carimbado e avaliado. Chic d+.  Obrigada Du, já iniciei a leitura e em breve compartilho aqui no blog.

No mais, recomendo a todos que acreditam que é possível fazem amigos virtuais e que já encontraram inúmeros na net, que saltem da telinha e passem momentos reais, compartilhem, toquem, olhem  nos olhos, retribuam os sorrisos, abracem, troquem figurinhas ao vivo e em cores. Eu, particularmente, adorei a experiência e espero repetir a dose em breve.

 
Sequências antológicas:
Na primeira, Cris extasiado diante da placa  da Rua do Sol, a mesma do poema "Evocação do Recife" de Manuel Bandeira, às margens do Capibaribe.



"(...) Rua da União...
Como eram lindos os nomes das ruas da minha infância Rua do Sol (Tenho medo que hoje se chame do Dr. Fulano de Tal)"
 














E o que dizer da expressão ao chegar ao Espaço Pasárgada? Lá o Bandeira viveu parte da sua infância. Logo ali, na Rua da União.

O  discípulo e o mestre









Diva L.






Em tempo: Foi no sobrado nº 263 da Rua da União, hoje Espaço Pasárgada, onde o poeta Manuel Bandeira viveu parte da sua infância, dos seis aos dez anos. O casarão em estilo neoclássico, de propriedade do avô de Bandeira, inspirou vários de seus poemas. Em um deles, “Evocação do Recife”, Bandeira retrata a cidade a partir da ótica de uma criança que começa a descobrir o mundo que existia…

Fonte: Fundarpe

1 Devaneios:

MAILSON FURTADO disse...

Gostaria de agradecer a vocÊ todo o carinho e as visitaas, opiniões em meu blog esse ano!

Mais um ano chega e desejamos sempre que ele seja muito melhor do que está acabando.

Assim, te desejo tudo de bom, felicidades MIL!

Obrigado por tudo e Feliz Ano Novo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons