Não falamos sobre moda, cultura é o nosso foco, poesia nossa inspiração. Sair do lugar comum é como ver o mundo de cima de um salto 15...Vermelho!!!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Por Onde Andei



Desculpe estou um pouco atrasado
Mas espero que ainda dê tempo
De dizer que andei errado e eu entendo


As suas queixas tão justificáveis
E a falta que eu fiz nessa semana
Coisas que pareceriam óbvias até pra uma criança


Por onde andei enquanto você me procurava
Será que eu sei que você é mesmo tudo aquilo que me faltava


Amor eu sinto a sua falta
E a falta é a morte da esperança
Como um dia que roubaram seu carro
Deixou uma lembrança


Que a vida é mesmo coisa muito frágil
Uma bobagem uma irrelevância
Diante da eternidade do amor de quem se ama


Por onde andei enquanto você me procurava
E o que eu te dei foi muito pouco ou quase nada
É que eu deixei algumas roupas penduradas
Será que eu sei que você é mesmo tudo aquilo que me faltava


Nando Reis


Creio que o autor não se questiona se a pessoa a qual ele se refere é realmente importante para ele. Na verdade ele faz, sim, uma grande auto-crítica, e reconhece naquela pessoa uma imensa importância para a sua vida, mas que ele não soube valorizá-la no devido tempo (“desculpe, estou um pouco atrasado…”), está arrependido pela perda, e disposto a mudar (“De dizer que eu andei errado / e eu entendo suas queixas tão justificáveis”).

O que ele quer dizer realmente é que aquela pessoa que lhe era tão dedicada, um certo dia não suportou suas mancadas e falta de maturidade (“coisas que pareceriam óbvias até pra uma criança”) e deu um basta no relacionamento.


Quando ele diz no refrão: “por onde andei enquanto você me procurava?”, na verdade ele se questiona: o que é que eu estou fazendo com essa pessoa que está sempre procurando me entender?
Ele reconhece que pouco fez para manter o relacionamento (“e o que eu te dei foi muito pouco ou quase nada”).


E tenta se justificar que não se empenhava o suficiente por conta de lembranças passadas (possivelmente outros relacionamentos) usando a metáfora: “é que eu deixei algumas roupas penduradas”.


Por fim, ele se questiona: será que eu mereço esta pessoa de tanto valor? será que eu já estou preparado para dar a esta pessoa tudo o que ela merece? (“Será que eu sei que você é mesmo tudo aquilo que me faltava”).


Comentário by Sérgio Soeiro — 16 de abril de 2009 
Leia outras análises e comente - Site

PS: Lexxxxxxx!!! Saudadessssss!!!

1 Devaneios:

"(H²K) - Hamilton H. Kubo" disse...

Adorei a análise, e sinceramente... São poucos o que tem sensibilidade o suficiente para entender...

"Amor eu sinto a sua falta
E a falta é a morte da esperança"

Quando a conclusão se faz assim tardia, é de fato como se morressem todas a chances!


BEijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons