Não falamos sobre moda, cultura é o nosso foco, poesia nossa inspiração. Sair do lugar comum é como ver o mundo de cima de um salto 15...Vermelho!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

23 de abril Dia nacional do Choro, Chorinho e Pixinguinha!!

O nome do gênero é Choro, mas popularmente é chamado de Chorinho. Muitos chorões, ou mesmo apreciadores do gênero, não gostam desta última denominação, alegando que não se chama samba de "sambinha" ou jazz de "jazzinho". Outros consideram o chorinho como um aspecto do choro ou o ambiente proporcionado pelo gênero.

Embora muitas pessoas dizem que o choro é o Jazz brasileiro por terem semelhanças nas improvisações; ocorre que o Choro nasceu muito antes do Jazz e tem origem européia principalmente na polca, enquanto o Jazz tem raízes principais da cultura africana.

Com mais de 130 anos de existência, surgiu no Rio de Janeiro como uma forma abrasileirada dos músicos tocarem ritmos estrangeiros, é uma música caracterizada principalmente por uso de instrumentos desde os clássicos até os mais populares, como o cavaquinho e o pandeiro. Apesar do nome, o gênero é em geral de ritmo agitado e alegre.

Dentre os interpretes e compositores destacam-se uma gama dos melhores da música brasileira, como: Chiquinha Gonzaga, Joaquim Callado (considerado o pai do choro), Heitor Villa-Lobos, Donga, Zequimha de Abreu, João Pernambuco, Morais Moreira, Canhotinho, Aníbal Augusto Sardinha (o Garoto) e Pixinguinha dentre outros.



Alberto da Rocha Viana Filho ou simplesmente Pixinguinha, era filho de um funcionário dos correios e flautista, Alberto da Rocha Viana, que possuia uma vasto acervo de partituras de choro antigos. Pixinguinha aprendeu a música em casa, fazendo parte de uma grande família de músicos, dentre eles o China (Otávio Viana).

Pixinguinha é considerado um dos maiores compositores da música popular brasileira, contribuiu diretamente para que o choro encontrasse uma forma musical definitiva. Foi flautista, saxofonista, arranjador e compositor, dentre as quais estão, "Rosa", "Vou vivendo", "Lamentos", "1 x 0", "Naquele tempo", "Sofres porque Queres" e "carinhoso", que na época não foi considerado choro e sim uma polca.





Em São Paulo a data do dia 28 de Junho é conhecida como "dia estadual do choro", em homenagem ao nascimento da expressão maior do choro paulista Aníbal Augusto Sardinha (o Garoto).

No dia 23 de abril comemora-se o Dia Nacional do Choro, trata-se de uma homenagem ao nascimento de Pixinguinha. A data foi criada oficialmente em 4 de setembro de 2000, quando foi sancionada lei originada por iniciativa do bandolinista Hamilton de Holanda e seus alunos da Escola de Choro Raphael Rabello.

Fonte: blogln.ning.com, pt.wikipedia.org, projeto14sambas.blogspot.com, fmanha.com.br, barseugarcom.blogspot.com

3 Devaneios:

Diva Lali disse...

Putz! Q aula do caramba. Parabéns pela pesquisa. Meu repertório agradece, pois foi atualizado com sucesso!

Parabéns de novo e novamente!!!

Anônimo disse...

Sou uma chorona assumidíssima amo choro e tenho orgulho de tirar umas notas. A 1ª vez q ouvi foi Na toca de Vinícios em Ipanema,RJ eu me apaixonei pelo ritmo e fiz uma pesquisa documentada de choro. O Choro de Jacob do Bandolim,q vem a ser pai de Sérgio Bittencourt, Compositor de Naquela Mesa showw ...Outra história... voltando ao Jacob a música Chega de Saudade (Tom Jobim/Vinicius de Moraes), foi antológica.gravada em um show em benefício do MIS vale a pena ouvir Jacob.Vou parar ou vai virar uma dissertação sobre minha paixão ao choro

EII Kakau vai ai uma sugestão Uma Noite c/ Choro no Sarau.
Obrigada
Andréa1

Kakau disse...

Legal Andréa!
Se orestante da turma topar, estou dentro, o choro além de ser muito agradável de se ouvir, emociona e podemos dizer com todo orgulho, é um
patrimônio só nosso.
Bjos, adorei o comentário!!!!!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons