Não falamos sobre moda, cultura é o nosso foco, poesia nossa inspiração. Sair do lugar comum é como ver o mundo de cima de um salto 15...Vermelho!!!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Chicas!!!

A primeira vez que ouvi essas "meninas", o sentimento foi de total encantamento. O tempo passou e com ele novas canções, novos momentos, novas interpretações, mas o sentimento é o mesmo. Cada vez que as ouço, parece sempre a primeira vez. Impossível ouvi-las sem repetir incansavelmente. Ouço até esgotar, até o cérebro repetir os acordes sem necessariamente estar ouvindo.  O transbordar da música, poesia e interpretação, me transporta para um lugar distante, quase um transe.

Isadora Medella, Paula Leal, e as irmãs Amora Pêra e Fernanda Gonzaga, filhas do compositor Gonzaguinha, segundo os críticos e sites especializados, formam uma das mais promissoras bandas de MPB do momento:  Chicas.

As cantoras, atrizes e instrumentistas, trazem na bagagem um repertório inspirado em todos os tipos de música sem regras, uma grande mistura de ritmos como pop, MPB, rock, samba, baião e até funk, como também, um trabalho marcado por músicas próprias, dotadas de uma poesia singular.




O começo - O grupo surgiu nos anos 90 a partir de uma peça de teatro. As quatro meninas afinadíssimas, tornaram-se uma promessa, pois faziam um som praticamente extinto: A MPB de Gonzaguinha.  Em 1998, as quatro moças foram super elogiadas pelo Nelson Motta e, também, pelo cantor Paulinho Moska, além de perfiladas no Jornal do Brasil, na capa do Caderno B. Na época, parecia questão de tempo para as jovens talentosas tomarem as rádios e TVs brasileiras. Mas o sonho acabou, e o grupo se desfez em 1999.
A falta de maturidade  foi considerada a causa da separação.  Quatro anos mais tarde, em 2003, o grupo retomou a carreira e a formação original. Aos poucos, elas começam a despertar a atenção nas platéias para as quais se apresentam.

 

 


A banda começou com uma produção independente e acabou conquistando o prêmio TIM de música como melhor banda de MPB de 2007, com o primeiro álbum, Quem Vai Comprar Nosso Barulho. O álbum teve uma de suas faixas incluídas na trilha sonora da novela “Duas Caras” e acabou sendo distribuído pela gravadora Som Livre. 

Em Tempo de Crise Nasceu a Canção -  O CD/DVD seria mais um trabalho independente das Chicas, mas ao final do processo de mixagem o grupo recebeu uma proposta de distribuição nacional e internacional pela gravadora Biscoito Fino. O trabalho em vídeo inclui canções que não estão no primeiro CD, como “Divino Maravilhoso” de Gil e Caetano, que abre o show, e “Androginismo”, da dupla Kleiton e Kledir, que só foi gravada anteriormente pelos Almôndegas, além de arranjos inspirados que já caracterizam o trabalho da banda. Isso acontece também no novo CD que, com nove músicas inéditas, entre as 14 que o integram, traduz a dinâmica do grupo, que gosta de experimentar tudo no palco para depois chegar ao estúdio.
Quatro meninas - Com perfis diferenciados, elas se apresenta de forma harmoniosa, preservando seus estilos e explorando as habilidades. Paula canta em uma região mais grave e domina todos os instrumentos conhecidos pelo homem desde o atabaque centro-africano. Isadora tem um alcance vocal invejável, ataca as notas com segurança e ainda dedilha um violão cheio de ritmo. E as irmãs Amora e Fernanda emprestam mais agudos e emoção às canções. Amora ainda "brinca com uma zabumba, sem se intimidar nem perder a doçura.


 Fontes: //aschicas.multiply.com, JB Online, www.biscoitofino.com.br

1 Devaneios:

Tere disse...

minha querida amiga,a mais nova,seja ben vinda,amei sua visita,seu comentario só veio acrecentar em mim a grande vontade de viver,viver e viver,beijos tere.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons