Não falamos sobre moda, cultura é o nosso foco, poesia nossa inspiração. Sair do lugar comum é como ver o mundo de cima de um salto 15...Vermelho!!!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Brega very cult


Quem disse que não curto brega? Repetindo de novo e novamente, curto tudo que é bom e tem conteúdo... Eu disse, CONTEÚDO!!!

Embora para alguns o termo tenha sentido pejorativo e discriminatório, brega é um gênero musical 100% brasileiro. Melodias fortes e explosão de sentimentos, geralmente trata de temas como declaração de amor, casamento, traição, desilusões amorosas, entre outros assuntos correlatos. Em décadas passadas, viveu o auge.

No meio musical o termo "brega" é motivo de controvérsia, pois muitos artistas rejeitam esse rótulo, outros assumem com maior facilidade. Acredito que tal rejeição se dá ao rumo dado ao estilo. Não ficou claro? Tudo bem, eu explico.

Tomando como exemplo a grande avalanche de bandas, diga-se de passagem, sem o menor conteúdo, se intitularem de brega num viés humorístico e geralmente com letras de duplo-sentido ou satirizando o cotidiano, mais conhecido como "brega pop", é simplesmente lamentável e, para os bons cantores e compositores, não deve ser nada agradável ser comparado com algo de gosto duvidoso.
Mas, se voltarmos no tempo é possível identificar grandes cantores e composições raras que fizeram história com as então chamadas "músicas de dor de cotovelo".

O que dizer do incomparável rei Reginaldo Rossi? Ou ainda, Waldick Soriano, Vicente Celestino, Evaldo Braga, Paulo Sérgio, Bartô Galeno, Amado Batista, José Augusto, Núbia Lafayete, Carmem Silva, Adilson Ramos, Altemar Dutra, Antonio Marcos, Carlos Alexandre, Fernando Mendes, Cláudia Barroso, Odair José, Rosemary, Nelson Ned, Wando, Aguinaldo Timóteo?

Bregas sim, por que não? Eu diria música romântica que contribuiu e contribui para nossa história, ao contrário das atuais músicas sem qualidade, descartáveis e vulgares que intitulam de brega.

Esta semana vamos passear por este universo na coluna "Muito prazer". Vamos compartilhar composições e interpretações de ícones dessa cultura e assim, conhecer e aprender a apreciar (ou não) um estilo sempre presente e que se mantém vivo.

Fontes: Wikipédia, Cliquimusic

4 Devaneios:

Kakau disse...

Brega, brega!!!
se gostar de Amado batista é ser brega,
sou brega e muito brega. rsrsrs

Anônimo disse...

oi prima, eu gosto é demais de certas musicas que sao consideras bregas.. mas quem não curte?
otimo texto.. continue assim..
corintiano fiel

Anônimo disse...

Quem nunca cantou uma que atire a primeira flor O q seria da da música se não fosse o brega vários artista ditos roqueiros ou atuais já gravaram brega tipo Nando Reis Titãs da epoca do saudoso e querido Marcelo Fromer Arnaldo Antunes Paulo Miklos Mombojó Ultraje ai tem muitos
É por trás do adjetivo que o gosto musical torna-se tão somente uma senha de aceitação social. As pessoas aderem a determinado estilo esperando com isso serem aceitas em grupos sociais.
E você? O que acha dessa onda de usar o gosto musical como senha de aceitação social? Você é o que você ouve? Ou você ouve o que você é?

Acho q escrevi D ++ para um comentário desculpa rrsss
BJKas Andréa1

Diva Lali disse...

Eita q galera inspiradaaaa!!!
Adoreiiiii!! Continuem comentando, a gente tem
muito o que compartilhar essa semana.

Bjo grande e abraços na alma.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | JCpenney Printable Coupons